Maha Shivaratri

Om Namo Bhagavate Sri Ramanaya

27 de fevereiro de 2014 – Maha Shivaratri

O Ashram planeja recitar Sri Arunachala Aksharamanamalai, com refrão, durante a noite de Maha Shivaratri em 27 de fevereiro de 2014. Se sua presença física não for possível, incentivamos todos a recitar o poema durante o Maha Shivaratri, e assim se sintonizar com a presença iluminadora de Sri Ramana Maharshi, que concede a Graça com mais generosidade até mesmo do que o Senhor Kubera (Senhor dos tesouros e riquezas de todo o universo). Abaixo, apresentamos evidências dos textos sagrados e testemunhos de Sri Ramana Maharshi que mostram que cantar o Aksharamanamalai com refrão uma vez é equivalente a cantar o mantra Panchakshari trinta bilhões de vezes!

 

O Maha Shivaratri é o dia mais santo consagrado ao Senhor Shiva. Os devotos fazem jejum durante o dia inteiro e continuam a adorá-Lo durante toda a noite. Realiza-se uma puja cerimonial ao Shiva Lingam (o símbolo do Senhor Shiva) nos templos e nos lares.

 

A atmosfera vibrante da noite demonstra a extraordinária importância dessa ocasião, descrita da seguinte maneira pelo próprio Senhor Shiva: “Ao fazer adoração a Mim nesse dia sagrado, a pessoa obtém o resultado da adoração de um ano inteiro. Assim como a Lua faz o mar subir, esse dia sagrado aumenta o poder das Minhas manifestações.”

 

Maha Shivaratri em Conversas com Sri Ramana Maharshi

 

629. “Hoje é o dia de Shivaratri. Sri Bhagavan está radiante com Graça esta noite.”

 

218. “Maharshi passou o dia analisando o Shiva Purana. Ele disse: ‘Shiva tem os aspectos transcendental e imanente como representados pelo Seu ser invisível, transcendental e o aspecto linga respectivamente. O linga originalmente manifestado como Arunachala é o mesmo até hoje. Essa manifestação foi quando a lua estava na constelação de Órion (Ardra) em dezembro. No entanto, ela foi adorada pela primeira vez no dia de Shivaratri, que é sagrado até hoje.

 

'Na esfera da fala, o Pranava (o som místico AUM) representa o aspecto transcendental (nirguna) e o Panchakshari (Namasivaya ou Sivayanama) representa o aspecto imanente (saguna).’”

 

450. [Adaptado] “Quero saber como a visão bem-aventurada de Shiva pode se tornar contínua e permanente. Sem Shiva não há vida no que vejo à minha volta. Eu fico tão feliz em pensar n’Ele. Por favor, me diga como a Sua visão pode ser eterna para mim."

 

Maharshi: "Uma visão jamais pode ser eterna. Mas Shiva é eterno."

 

"‘SER’ é Realizar – assim, EU SOU O QUE EU SOU. EU SOU é Shiva. Nada mais pode existir sem Ele. Tudo tem sua existência em Shiva e por causa de Shiva.”

 

 

Louvor ao Senhor Shiva no Maha Shivaratri

 

Nos versos 1765 e 831 do Padamalai, Sri Muruganar diz: “Por meio da Graça, Padam (Sri Ramana Maharshi) assegura que nunca haverá qualquer perigo para aqueles que permanecem em seus corações, meditando em Shivayanama”, e “O mantra Shivayanama no qual você medita revelará no seu coração que é seu pai e sua mãe”.

 

Aqueles que foram abençoados com saúde e com a proximidade física de Arunachala circumambulam a Montanha, e Sri Ramana Maharshi aprovava essa prática como “um louvor direto ao Senhor Supremo da Compaixão”.

 

Os Shivacharyas (professores) afirmam que o mantra Panchakshari” requer a iniciação por um Guru vivo e qualificado. Sri Ramana Maharshi concorda totalmente com essa opinião tradicional (Conversa 8 do livro Conversas com Sri Ramana Maharshi). Para aqueles sem iniciação em qualquer mantra, mas que têm fé em Sri Ramana Maharshi, o poema místico Sri Arunachala Aksharamanamalai é um refúgio divino, que derrama Graça e orientação em todos aqueles que fazem a recitação correta. Agora, faremos um estudo cuidadoso do ensinamento d’Ele sobre esse tema.

 

Cântico Correto do Aksharamanamalai

 

O Aksharamanamalai é composto por quatro partes:

 

1. Invocação a Ganapati, o removedor dos obstáculos.

2. O refrão é “Arunachala Siva, Arunachala Siva, Arunachala Siva, Arunachala! Arunachala Siva, Arunachala Siva, Arunachala Siva, Arunachala!” Arunachala pode ser considerado o fio que une as flores (versos) da guirlanda.

 

3. 108 versos na ordem alfabética da língua tâmil. Os primeiros cem versos estão em uma ordem alfabética ascendente perfeita, indo de A a Z, em tâmil. Os versos de 101 a 108 também seguem uma ordem alfabética ascendente que recomeça, à exceção do verso 103, que usa a primeira letra de “Siva”. Os oito versos finais juntos parecem o nó de um padrão floral secundário encontrado nas guirlandas de flores dos casamentos indianos.

 

4. Verso de benção que honra a Montanha Arunachala, os devotos e essa Guirlanda Marital de Letras.

 

No cântico tradicional do Aksharamanamalai, após a invocação a Ganapati e o refrão de abertura, cada um dos 108 versos é seguido do refrão. O verso final (nº 108) é repetido duas vezes, e o refrão também é repetido duas vezes no final. Por fim, o verso de benção é cantado. O verso 108 – que se refere à troca das guirlandas de flores – é repetido duas vezes, talvez simbolizando a noiva que oferece a guirlanda marital de flores ao noivo, e este último retribuindo o gesto.

 

Frequência da palavra “Arunachala” no Aksharamanamalai

 

Agora, contaremos quantas vezes o nome sagrado “Arunachala” aparece quando o Aksharamanamalai é cantado de maneira completa e correta.

 

O refrão contém o nome Arunachala oito vezes. Como o verso final é repetido duas vezes, a palavra aparece 110 vezes nos 109 versos, então o nome Arunachala é dito 880 vezes. Na recitação tradicional do poema, como se encontra na versão escrita por Sri Bhagavan nos Arquivos do Ashram, o refrão é cantado duas vezes. Assim, o total é 888.

 

A palavra Arunachala aparece uma vez em cada verso, exceto no primeiro e no último verso, nos quais ela aparece duas vezes em cada um. Assim, temos 108 + 2 + 2 vezes (da segunda repetição do verso 108), e temos um total de exatamente 1000 vezes. Não foi fácil chegar a essa contagem precisa até que a cópia arquivada do próprio texto de Sri Bhagavan revelasse um refrão repetido duas vezes no final. Mais evidências do refrão duplo foram obtidas escutando a recitação de Kunju Swamigal, gravada na frente de Sri Bhagavan. Como Sri Ramana Maharshi não compôs o Aksharamanamalai tendo uma ideia específica em mente, é quase certo que o próprio Senhor Arunachala compôs esse glorioso poema que é tanto um ashtotra (108) quanto um sahasranama (1000) ao mesmo tempo. Observe que não incluímos a menção a Arunachala no verso de invocação nem no verso de benção. Também não contamos palavras como “Ramana”, “Eu”, “Giri”, “Guru”, “Malai Marundu”, entre outras, que são conhecidas por serem idênticas a Arunachala.

 

A recitação correta do Aksharamanamalai proporciona ao devoto sincero um meio de unir sua alma com o sempre resplandecente Monte Arunachala. O grande poeta-santo Sri Murugunar proclama na invocação do poema, “Aqueles que olharem para ela [essa guirlanda marital de letras] como seu único refúgio, perceberão que eles próprios são Arunachala e reinarão no mundo de Shiva.” Esse método está disponível para todos. Esse louvor não precisa de nenhuma iniciação para aqueles que têm amor e fé.

 

Cálculo de Aksharamanamalai

 

Sentado numa laje de pedra perto do Vayu Lingam, em frente ao majestoso Monte Arunachala, Sri Ramana Maharshi revelou a um devoto: “Foi aqui que as lágrimas brotaram dos meus olhos em torrentes incontroláveis enquanto eu compus o verso cinquenta e cinco”. Devaraja Mudaliar lembrou que Sri Ramana teve uma reação semelhante ao ler o Arunachala Purana, um tratado tâmil sobre a glória de Arunachala, baseado em vários textos sagrados.

 

O Arunachala Purana diz: “Esta Montanha terá o poder de curar a aflição do nascimento e da morte. Assim, um de seus nomes será Montanha Medicinal (Malai Marundu). Como ela é vermelha, outro nome será Montanha Vermelha (Arunagiri). Para aqueles que recitam o nome de Arunachala apenas uma vez, será como se eles tivessem pronunciado as Cinco Sílabas Sagradas (Shivayanama) trinta milhões de vezes. Ao escutar a declaração do Senhor, cuja garganta é azul de veneno, Brahma e Vishnu se encheram de alegria.”

 

Vamos prosseguir com o cálculo do canto do Aksharamanamalai da maneira correta e tradicional. A estimativa conservadora é que cantar o Aksharamanamalai da maneira certa uma vez é equivalente a cantar o Shivayanama trinta bilhões de vezes!

 

Em outras palavras, dizer uma vez o nome sagrado “Arunachala” é equivalente a realizar seis mil Purascharana (cem mil vezes por letra do mantra) de Panchakshari. Fazer um único Purascharana demora aproximadamente vinte e dois dias, com seis horas de canto por dia. Então, com a Graça de Bhagavan, o benefício do canto do “Shivayanama” por seis horas diárias por 320 anos pode ser alcançado com uma única recitação (sahasranama prayoga) do Aksharamanamalai.

Clique aqui para aprender a cantar o Aksharamanamalai.

Sri Ramanasramam
Tiruvannamalai, Tamil Nadu 606 603
Índia

Telefone Geral: +91 4175 • 237200, 4175 • 237400, 4175 • 236624


Acomodações: +91 4175 • 236624

Copyright © 2020 por Sri Ramanasramam. Desenvolvido em português por SatsangEditora.