Visite-nos

Tiruvannamalai

aruna_temple.jpg

A cidade de Tiruvannamalai fica a 193 quilômetros ao sudoeste de Chennai. Ela se situa na linha Villupuram-Katpadi da Southern Railway (Linha Férrea do Sul). Há ônibus que a ligam a cidades próximas.

Há também táxis disponíveis para visitantes que vêm ao Ashram de diferentes lugares do sul da Índia. O Ashram fica a cerca de três quilômetros da estação ferroviária de Tiruvannamalai. As estações de ônibus ficam a uma distância semelhante, e a dois quilômetros ao sul do Templo Principal.

 

Clima

 

Durante a maior parte do ano, o clima costuma ser quente e seco. Recomendamos roupas leves de algodão.

Os meses de abril e maio são os mais quentes. Temperaturas acima de quarenta graus são comuns.

Em meados de junho, enquanto o resto da Índia vivencia a monção do sudoeste, Tamil Nadu, protegido da chuva pelos Gates Ocidentais, recebe apenas algumas chuvas, mas a temperatura diminui agradavelmente.

A verdadeira temporada de chuvas (a monção do nordeste) para essa parte do sul da Índia ocorre em outubro e novembro, quando o clima fica úmido e temperado.

O inverno (dezembro e janeiro) é bastante breve. É agradável durante o dia, e recomenda-se uma roupa leve de lã para a noite e para o início da manhã.

 

 

Vestuário adequado

 

Os visitantes respeitam gentilmente a cultura local, vestindo roupas que cobrem completamente os joelhos e os ombros.

 

 

Acesso ao Ashram

entrance_arch_new-1024x666.jpg

Depois de passar por debaixo do arco que anuncia o nome do Ashram, o visitante atravessará um grande pátio ladeado por árvores frondosas, e uma delas é uma Iluppai de 400 anos. Acima dela, à esquerda, encontram-se duas torres que seguem a arquitetura tradicional dravídica. Uma delas está acima do Templo Matrubhuteswara, erguido em cima do túmulo da mãe de Sri Maharshi, e a outra fica acima do Salão Novo.

 

Tour Virtual pelo Ashram — Cique Aqui 

 

 

O Salão Novo

 

Ao entrar no Salão Novo, os objetos que mais atraem a atenção do visitante são uma estátua em tamanho real de Sri Maharshi e um grande sofá (yogasana), belamente esculpido em uma única pedra e polido para dar a aparência de mármore preto. Esse Salão foi construído especialmente para acomodar o número cada vez maior de devotos, já que o  Salão Antigo, descrito abaixo, estava pequeno demais. Mas Sri Maharshi usou o Salão Novo e o sofá durante alguns meses apenas, antes de seu Mahanirvana. Aberto diariamente das 5h às 12h30 e das 14h às 21h.

 

 

Templo Matrubhuteswara

mother_shrine1-911x1024.jpg

A porta na parede oeste do Salão Novo leva diretamente ao Templo Matrubhuteswara. Esse templo imponente foi construído sob a supervisão pessoal de Vaidyanatha Stapati – um famoso escultor e arquiteto de templos. O Garbha Griha (sanctum sanctorum) contém um Shiva-Lingam sagrado e um Sri Chakra Meru santificado pelo toque do próprio Sri Maharshi. Uma adoração especial conhecida como "Sri Chakra Puja" é conduzida aqui todas as sextas-feiras, nos dias de Lua cheia e no primeiro dia de todos os doze meses solares. Nas paredes externas do Garbha Griha, há imagens esculpidas de Dakshinamurti, Lingodbhava Murti, Vishnu e Lakshmi. Nos cantos sudoeste e noroeste, encontram-se dois pequenos santuários dedicados aos deuses Ganesha e Subrahmanya, respectivamente.

Há um santuário parecido no lado norte, dedicado a Chandikeswara. Os Nava Grahas (nove planetas) encontram-se no lado nordeste. Os pilares que sustentam o teto contêm várias imagens de deuses e deusas. Há um pequeno Nandi, ou touro, em um pedestal alto voltado para a entrada do Garbha Griha. O templo inteiro foi construído com granito de alta qualidade. Aberto diariamente das 5h30 às 12h30 e das 15h30 às 20h.

 

 

O Samadhi de Sri Maharshi

bhagavn_samadhi.jpg

Ao sair do Templo da Mãe por uma porta localizada na parede norte, chega-se ao santuário construído sobre o túmulo de Sri Maharshi. Ele consiste de um mantap (uma grande plataforma elevada) com um vimana, ou torre, em cima. Sustentando a torre, há quatro grandes pilares de granito esculpidos e polidos para parecer mármore preto. As vigas também são esculpidas e polidas. Um lótus de mármore branco adorna o centro do mantap, e sobre ele há um Shiva-Lingam sagrado. Ao redor desse santuário, há um grande salão de meditação com piso de mármore. Aberto diariamente das 5h às 12h30 e das 14h às 21h.

 

 

O Salão Antigo

 

Ao passar pela porta do lado norte do Salão do Samadhi, o visitante chega ao Salão Antigo. Esse Salão e o Quarto do Nirvana, em suma, são considerados locais particularmente santificados pela presença de Maharshi. Nesse Salão, milhares de devotos tiveram seu darshan (ver ou ser visto por Bhagavan). Foi no sofá desse Salão que ele passou quase todo o seu tempo, até cerca de um ano antes do seu falecimento. Foi aqui que os devotos vivenciaram, ano após ano, a forte paz que emanava de sua presença. Até hoje, o Salão Antigo continua sendo o lugar preferido de visitantes e residentes para meditar.

Ao norte desse Salão, encontra-se uma grande área aberta com algumas árvores frondosas. O espaço é ladeado por um jardim de flores e um dispensário ao oeste, por uma grande área com refeitório e cozinha ao leste, e pelo caminho que leva ao Skandashram no Monte Arunachala ao norte. Aberto diariamente das 4h às 12h30 e das 14h às 21h.

 

 

O Refeitório

 

O refeitório, com sua nova extensão, pode acomodar quase oitocentas pessoas, e a cozinha é suficientemente grande para preparar refeições para até duas ou três mil pessoas em ocasiões especiais como o Jayanti (aniversário de Sri Maharshi). O lugar em que Bhagavan se sentava para comer no refeitório é indicado por uma grande foto dele que repousa sobre uma plataforma de mármore. Ao passar pelo antigo refeitório e sair pela porta ao norte, entramos no novo refeitório, que foi construído nos últimos anos para acomodar o número de peregrinos cada vez maior. Ao leste da cozinha, e separado dela por uma passagem, encontra-se o depósito de mantimentos. Outra passagem separa a despensa da acomodação para homens, localizada ao sul dela. Essa passagem leva ao Veda Patasala, ou colégio interno, em que garotos aprendem a cantar os Vedas, e mais adiante encontra-se o Gosala (estábulo) em que as vacas do Ashram são mantidas. Mais ao leste, estão localizados os banheiros.

 

O Estábulo (Gosala): A pecuária leiteira do Ashram, que abastece o local com laticínios saudáveis para as necessidades internas.

 

A Escola Veda (Vedapatasala): Lá, os alunos são treinados no canto tradicional dos Vedas (Yajurveda).

 

 

O Quarto do Nirvana

nirvanaroom1.jpg

O pequeno Quarto do Nirvana, situado ao leste do Salão Novo e ao norte do escritório, é o quarto em que Sri Maharshi passou seus últimos dias; então é um lugar tratado com uma reverência especial. É mantido como era na época dele. Ao sul desse lugar sagrado, e voltado para o Templo da Mãe, encontra-se o santuário erguido sobre o Samadhi de Sri Niranjanananda Swami, o irmão mais novo de Maharshi e o Sarvadhikari, ou administrador do Ashram, durante sua vida. Há uma bela fileira de coqueiros ao lado desse mantap e do Quarto do Nirvana, estendendo-se para o leste.

 

Quartos de Hóspedes

 

Desde o Mahanirvana de Sri Maharshi, muitos quartos novos de hóspedes foram construídos dentro e ao redor do Ashram. Os quartos e as casas adicionais foram construídos ao oeste do Pali Tirtham, que no início era uma parte de Palakuttu – uma área arborizada onde Maharshi costumava caminhar. Todos os quartos são limpos, com camas simples, banheiro, ventilador de teto e janelas e portas com telas. Para proporcionar uma experiência tranquila e íntima ao visitante do Sri Ramanasramam, a administração decidiu suspender a construção de novos quartos dentro do Ashram. Em vez disso, o Ashram tem construído acomodações para hóspedes fora de suas instalações, a uma distância que se pode percorrer a pé.

 

Dispensário: Assistência médica gratuita para os residentes do Ashram e para a população local.

 

Livraria: É possível encontrar livros sobre Sri Ramana em vários idiomas, incluindo obras originais, biografias, comentários e reminiscências. Também há fotografias, lembranças, fitas de áudio, vídeos, CDs e o Mountain Path, o periódico trimestral publicado pelo Sri Ramanasramam e com distribuição mundial. Aberta diariamente das 8h às 11h e das 14h às 18h.

 

 

Biblioteca Sri Ramana

library1.jpg

Essa biblioteca, localizada no complexo do Ashram, tem uma coleção extensa de livros sobre assuntos espirituais em vários idiomas. Está aberta das 8h30 às 11h e das 14h às 17h. Os visitantes (hospedados) são bem-vindos para explorar os livros. No entanto, é preciso se tornar um membro para pegá-los emprestados.

 

Skandashram: Esse adorável eremitério arborizado na Montanha, com vista para o Grande Templo, foi onde Bhagavan viveu entre 1916 e 1922.

 

Caverna Virupaksha: Ela tem o formato do “Om” sagrado e contém o Samadhi do Sábio Virupaksha. Bhagavan Sri Ramana viveu aqui entre 1899 e 1916. Ambas as cavernas são lugares históricos preservados e mantidos pelo Sri Ramanasramam para o benefício dos visitantes. Abertas diariamente das 8h às 16h.

 

Sri Ramanasramam no Google Mapas